“Nosso intuito é ouvir a população para formular um relatório realista”, diz Cairo Salim em Águas Lindas

O deputado Cairo Salim (Pros) coordenou os trabalhos da 26ª audiência pública realizada pela Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que investiga irregularidades dos serviços prestados pela concessionária italiana Enel, no auditório da Câmara Municipal de Águas Lindas.

Cerca de 80 pessoas participaram da reunião comandada pelo relator da CPI, que falou da necessidade de buscar soluções efetivas em relação ao serviço oferecido pela empresa italiana Enel aos consumidores goianos. “Nosso intuito é ouvir a população para formular um relatório realista e justo para cobrar soluções da Enel e do Ministério Público”, afirmou Cairo, relator da CPI, no discurso de abertura.

O deputado assegurou aos participantes que o intuito da comissão é investigar as razões que levam a Enel a oferecer serviços de má qualidade em Goiás. “Por que isso não acontece em outros 38 países aos quais a empresa detém a distribuição de energia elétrica? Nosso dinheiro não vale menos que nenhum outro. Mobilizações como essa é o primeiro passo para pressionar a Enel a investir em Goiás, respeitando o contribuinte”, completou.

Além de Cairo Salim e do vereador Oliveira Júnior (PPS), que representou o presidente do Legislativo municipal, Rugenberg Barbosa (PRB), integraram a mesa de autoridades: os vereadores por Águas Lindas Eder Nunes (PSD), Luís de Aquino (PHS), Tim da Madeireira (DEM), Natália de Sousa (PSDB), Aderson da Modelle (PTB), Osmar Rezende (PRB), Aluísio da Artec (PSC) e Evandro Rainha da Paz (PSB); assessora parlamentar Iracema da Silva; presidente do DEM municipal, Marco Túlio da Silva; e Ricardo Alvarenga, representante da OAB local.

De um modo geral, as reclamações populares giraram em torno das altas taxas e tarifas de iluminação pública, alta tensão, deslocamento ou remoção de postes, entre outros, além de tributos e encargos como PIS/Cofins e ICMS. “A Enel tem trocado os medidores de energia por conta própria, e após a troca, o preço da energia sobe. E sabe quem a Aneel autorizou para aferir e fiscalizar os medidores? A própria Enel! É uma verdadeira farra de desrespeito”, afirmou Cairo Salim.

Relato

A professora Ilda Luciano queixou-se da suspensão dos serviços por falta de pagamento em finais de semana e feriados. “Faço uso de nebulizador para tratamento de asma, e mesmo assim, fiquei sexta, sábado e domingo com a luz cortada. Só foi religada na segunda. Eu não me importo que negativem meu nome por falta de pagamento, mas não posso ficar sem energia por conta da minha saúde, assim como muitos outros consumidores. Mas, não podem interromper o serviço nos finais de semana, nem em feriados”, comentou.

Cairo Salim informou que já tramita, na Assembleia Legislativa de Goiás (Alego), um projeto de lei que permite a suspensão dos serviços apenas em dias úteis.

Fonte: Assessoria

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.